Tradutor

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

17 de jan de 2011

Este Mundo e o Reino de Deus - Greg L. Bahnsen, Th.M., Ph.D.




Tradução: Felipe Sabino de Araújo Neto

Quase todos os crentes Reformados mantêm que o reino de Jesus Cristo é 
(no mínimo) uma questão de Cristo reinando espiritualmente dentro do coração 
daqueles que são cristãos. O Catecismo Maior de Westminster ensina que Cristo executa 
o ofício de rei, entre outras coisas, “dando a graça salvadora aos seus eleitos” (Q. 
45), ou para usar a linguagem da Escritura: “Deus com a sua destra o elevou a 
Príncipe e Salvador, para dar a Israel o arrependimento e a remissão dos pecados” 
(Atos 5:31). 

O reino interior e espiritual de Cristo como Salvador e Senhor não deve ser 
ignorado ou minimizado em importância. Uma pessoa não pode entrar no reino de 
Deus à parte do renascimento espiritual: “Na verdade, na verdade te digo que 
aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” (João 3:3). Aqueles 
que são redimidos já foram transferidos para o reino do Filho amado de Deus 
(Colossenses 1:13) e como tal percebem que “o reino de Deus é… justiça, e paz, e 
alegria no Espírito Santo” (Romanos 14:17). Os pós-milenistas sempre afirmaram 
essa doutrina fundamental: que o reino de Deus é uma realidade interior e 
espiritual. Por exemplo, J. Marcellus Kik interpretou os “tronos” de Apocalipse 
20:4 dessa forma: “Os tronos representam o domínio espiritual dos santos sobre 
eles mesmos e sobre o mundo. Mediante a graça de Cristo eles reinam em vida 
sobre a carne, o mundo e o diabo” (An Eschatology of Victory, 1971, p. 210).  
O Reino é Meramente Interior? 

Sem diminuir em nenhum sentido a tremenda verdade bíblica que o reino de 
Deus é um reino interior e espiritual de Cristo dentro dos nossos corações, 
podemos continuar e perguntar se essa perspectiva expressa completamente tudo o 
que a Palavra de Deus nos revela sobre a natureza do reino de Deus. É correto 
dizer que o reino de Cristo se estende além do coração do crente? Cristo reina de 
alguma forma externa, visível e neste mundo? 
Os amilenistas são categoricamente hesitantes em afirmar que o reino 
presente do Messias é visível e deste mundo. Alguns exemplos mostrarão ser essa a 
regra geral entre os escritores amilenistas. Geerhardus Vos ensinou que o outro 
mundo deveria ser “a atitude dominante da mente cristã” (The Pauline Eschatology, 
1930, p. 363). Quando pensamos no reino de Cristo antes do Seu retorno em 
glória, os amilenistas desejam que não pensemos em nenhuma “bem-aventurança 
terrena” (W. J. Grier, The Momentous Event, 1945, p. 16) ou no “sucesso altamente 
visível de Cristo através da igreja na vida terrena e instituições” (Lewis Neilson, 
Waiting for His Coming, 1975, p. 346). Os principais escritores amilenistas explicam 
que eles “opõem-se ao tipo de milênio ensinado pelo pós-milenista” (William E. 
Cox, Amillennialism Today, 1966, p. 2). Como assim? Cox nos diz que durante “a era 
presente da igreja… Jesus Cristo reina no coração dos seus santos” (p. 65), e 
Meredith G. Kline insiste que a realidade presente é “o reino invisível do Senhor 
sobre o trono teocrático de Davi no céu” (Westminster Theological Journal XLI, 1978, 
p. 180.) Visto que o pós-milenista não nega sequer por um segundo que Cristo 
reina presentemente no coração dos seus santos a partir de um trono invisível no 
céu, qual ponto de vista distintivo está sendo alegado por esses mestres amilenistas? 
Quando alguém lê autores como Cox, Kline, Neilson e outros, torna-se 
óbvio que os que eles rejeitam nos escritores pós-milenistas é a inclusão do aspecto 
externo, visível e deste mundo dentro do escopo do reino de Deus nesta era. A 
direção do pensamento deles, como indicado no que Vos disse acima, é quase 
exclusivamente de “outro mundo” ou celestial. Isso está claramente manifesto no 
livro recente de Walter J. Chantry, God’s Righteous Kingdom (1980). Chantry alega que 
os “cidadãos do reino são orientados ao outro mundo, não a essa terra presente” 
(p. 16). De fato, Chantry sustenta que Cristo pôs de lado os aspectos externos da 
religião do Antigo Testamento: “Em contraste, o reino de Cristo é interior” (p. 51), 
de forma que a “bem-aventurança material, social e externa não pode ser buscada 
num milênio, mas na consumação do reino na vinda do nosso Senhor” (p. 62). 
Embora o sr. Chantry tente qualificar suas considerações admitindo que o mundo 
material e externo não é inerentemente mau, o cerne de sua perspectiva teológica é 
revelada quando ele diz que a Queda significa que o homem “colocou os desejos 
animais acima da aspiração pelas realidades espirituais” (p. 20) e diz que “adoração 
e ganhar almas… são coisas de longe bem mais importantes que o mandato 
cultural” (p. 27). Chantry deixa a sua posição mui clara: 
“… o reino de Deus está preocupado com as realidades eternas e 
espirituais. Ele tem a ver com um mundo presentemente invisível. Seu 
ponto focal é o homem interior… O evangelho do reino absorve 
completamente os homens no  eterno,  e não no temporal… O evangelho 
do reino absorve os homens no espiritual, e não no material” (pp. 15, 19, 
ênfase no original).  

Se homens como Chantry estivessem apenas indicando quais deveriam ser as 
nossas prioridades, se estivessem somente nos lembrando que a regeneração 
interna é um pré-requisito para a obediência externa em todas as áreas da vida, se 
estivessem simplesmente apontando para a natureza provisória e limitada da 
benção do reino hoje em contraste ao reino eterno e consumado de Deus, então 
haveria pouca disputa. Mas a crítica deles contra o pós-milenismo é prova concreta 
que muito mais está em jogo nas questões acima. 
Os amilenistas alegam ou tendem a enfatizar exclusivamente a natureza 
invisível, interna e de outro mundo do reino de Deus como uma realidade 
espiritual. Nossa pergunta é se a Escritura – o padrão infalível para os nossos 
comprometimentos doutrinários – não tem algo a mais para dizer, além de que o 
reino de Deus é presentemente expresso no coração dos homens. O reino é 
meramente interior? 

Algumas Distinções Necessárias 
Antes de tentarmos uma resposta à nossa pergunta, deveríamos ser 
lembrados de algumas distinções teológicas que devem ser feitas. Primeiro, 
diferenciaremos o reino  providencial de Deus (Seu reinado soberano sobre cada 
evento histórico, bom ou mau) do reino Messiânico de Deus (o governo divino que 
destrói o poder do mal e assegura a redenção dos eleitos de Deus). O governo 
providencial de Deus é indicado em Daniel 4:17, “o Altíssimo tem domínio sobre o 
reino dos homens”, enquanto Daniel 7:13-14 refere-se ao reino redentor, moral e 
vitorioso do Filho do Homem messiânico: “um como o filho do homem; e dirigiuse ao ancião de dias… e foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que 
todos os povos, nações e línguas o servissem”. 

Uma segunda distinção que não deveria ser esquecida é a distinção entre 
“reino” e “igreja” na Bíblia. Essas duas palavras não têm precisamente o mesmo 
sentido ou significado; de outra forma, quando Atos 28:23 nos diz que Paulo estava 
testificando sobre o reino de Deus, poderíamos dizer também que Paulo estava 
testificando sobre a igreja – o que seria errôneo, dado o contexto da profecia do 
Antigo Testamento sobre a pessoa e obra de Jesus. E “reino” e “igreja” não se 
referem à mesma entidade, pois Mateus 13:38, 41 nos informa que o escopo do 
reino é o mundo, incluindo os malfeitores – o que não é verdade da igreja. Para ser 
preciso, deveríamos dizer que é o reino de Deus que cria a igreja, e que a igreja por 
sua vem tem as “chaves do reino” (Mateus 16:18-19). Nenhuma das declarações 
seria verdadeira se não pudéssemos distinguir as duas entidades. 
Uma terceira distinção necessária tem a ver com o reino Messiânico (que tem 
um escopo mais amplo que a igreja). Precisamos distinguir entre esse reino na fase 
de  antecipação do Antigo Testamento (cf. Mateus 21:43, onde é dito ser ele tirado 
dos judeus), na presente fase da realização estabelecida (e.g., Mateus 12:28, onde Jesus 
declara que o reino de Deus “é chegado a vós”), e na fase da realização  consumada
no retorno de Cristo (e.g., Mateus 7:21-23, onde entrar no reino é contrastado com 
ser enviado para a condenação eterna; cf. 3:12). 

O Reino de Cristo como sendo deste Mundo 
Para recapitular, temos observado que é uma verdade fundacional que o 
reino de Jesus Cristo pertence ao reinado do Salvador dentro do coração do Seu 
povo – um reinado que se origina desde o trono celestial do Senhor. Nossa 
pergunta, para ser preciso agora, questiona se o reino messiânico de Jesus (em 
contraste com o Seu reino providencial, e se estendendo além do escopo da igreja) 
durante o período atual de seu estabelecimento (em contraste com sua antecipação 
no Antigo Testamento e em sua futura consumação nos novos céus e nova terra) é 
exclusivamente espiritual, de outro mundo, invisível e interior (como os amilenistas 
tendem a afirmar). Resumindo, nessa era presente o reino de Jesus Cristo é de 
outro mundo e restrito ao coração do homem? Ele é meramente interior? 
Nossa resposta, se formos fiéis a todo o ensino bíblico sobre o assunto, deve 
ser um  NÃO definitivo. O reinado de Cristo – Seu reino Messiânico – foi 
destinado a subjugar  todo inimigo da justiça, assim que o Paraíso foi reconquistado 
para os homens caídos pelo Salvador. Como Isaac Watts expressou poeticamente 
isso: “Ele veio para fazer Suas bênçãos fluir, Onde quer que a maldição seja 
encontrada”. Todas as coisas tocadas pela culpa e poluição do pecado são objetos 
do triunfo do reino do Messias – todas as coisas. O reino de Cristo não traz 
somente perdão e um novo coração que ama a Deus; traz também obediência 
concreta a Deus em todos os caminhos da vida. Aquelas coisas que permanecem 
em oposição a Deus, Seus propósitos e o Seu caráter devem ser sobrepujadas pelo 
reinado dinâmico do Rei Messiânico. Os efeitos do domínio de Cristo são 
evidentes sobre a terra, entre as nações, e por toda a esfera da atividade humana. 
Essa perspectiva todo-abrangente é apresentada pelo Apóstolo Paulo no 
primeiro capítulo de Colossenses, onde é revelado que todas as coisas foram criadas 
por Jesus Cristo (v. 16), que  todas as coisas são restauradas por Sua palavra 
redentora (v. 20), e conseqüentemente que em  todas as coisas Ele deve receber a 
preeminência (v. 18). Os seguidores de Cristo são exortados a “serem santos em 
toda a maneira de viver” (1 Pedro 1:15). Como Paulo coloca: “Portanto, quer 
comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus” 
(1Co. 10:31). O reinado de Cristo não é restrito a questões internas do coração – 
oração, meditação e piedade. Isso é somente o princípio. O reino de Deus “dá 
fruto” (veja Mateus 13:23; 21:43) tal que por meio da qualidade visível da vida de 
uma pessoa, o estado interior do seu coração pode ser discernido: “por seus frutos 
os conhecereis” (Mateus 7:16-21). Assim, então, mesmo comer e beber como 
atividades externas estão inclusas dentro do reinado do Messias. O reinado interior 
do Salvador deve tornar-se manifesto em justiça pública: o ouvir genuíno da Palavra, 
a religião verdadeira e a fé genuína são vistos no cumprimento fiel da lei, na ajuda 
externa aos oprimidos e no socorro prático dos aflitos (Tiago 1:22-2:26).

Restringir o reinado de Cristo a questões interiores é perder o contato com o caráter 
verdadeiro de submissão ao Rei. 
Cristo não se contenta em ser Rei de um reinado parcial ou restrito. Ele 
demanda obediência em todas as coisas de nós, e Seu objetivo é subjugar toda 
resistência – de toda natureza (interna e externa) – ao Seu governo. Paulo ensina: 
“Porque convém que reine até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus 
pés”, concluindo com a derrota da própria morte na ressurreição geral (1Co. 15:25-
26). Toda oposição, em todas as áreas, serão sobrepujadas pelo Rei. E à medida que 
acontecer, será um indicativo que o reino Messiânico está chegando. Cristo ensinou 
Seus discípulos a orar: “Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra
como no céu” (Mt. 6:10). Essa oração é uma lembrança contínua a nós que a vinda 
do reino significa fazer a vontade de Deus, e que o reinado de Cristo (Seu reino) 
por meio da nossa obediência chega precisamente aqui sobre a terra. O reino de 
Cristo é inegavelmente deste mundo em seus efeitos e manifestação. Sem dúvida, o 
reino de Cristo não procede “deste mundo” (João 18:36), significando (como o 
final do versículo interpreta a questão para nós) que a  fonte do reinado de Cristo 
“não é daqui”. Todavia, Seu reinado, como se originando do próprio Deus, 
pertence a este mundo presente. O Salvador ressurreto e vitorioso disse de Si 
mesmo: “É-me dado todo o poder no céu e na terra” (Mt. 28:18). 
Devemos admitir, portanto, que o reino de Cristo não é meramente interno e 
de outro mundo. Ele tem expressão externa sobre a terra no tempo presente. “O reino 
de Deus e a Sua justiça” faz provisão para cada detalhe da vida (Mt. 6:31-33). Ele, 
como Paulo ensina, “para tudo é proveitoso, tendo a promessa da vida presente e 
da que há de vir” (1 Timóteo 4:8). Numa famosa parábola do reino, Cristo explica 
com autoridade que o campo (o reino) é  o mundo (Mt. 13:38). Na perspectiva da 
Escritura, o reino de sacerdotes redimidos de Deus – a igreja (1 Pedro 2:9) – no 
presente “reina sobre a terra” (Apocalipse 5:9). Nossa confiança, chamado e 
prospecto está encapsulado no cântico maravilhoso, que “os reinos do mundo 
vieram a ser de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará para todo o sempre” 
(Apocalipse 11:15). O reino Messiânico deve ser visto, então, como externo, visível 
e deste mundo – não meramente como interno no coração do homem, e sendo de 
outro mundo. 

Fonte: The Reduction of Christianity, Gary DeMar e 
Peter J. Leithart, American Vision, Apêndice D. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marcadores

(I Pedro 5:8) (1) 1 Coríntios (3) 1 Pedro (1) 1Pedro (1) 2 Pedro (2) A (1) A palavra da Cruz é Loucura (3) A Parábola do Rico e Lázaro (1) a Semente e os Solos (1) A Volta de Jesus (4) A. W. Tozer (36) A.W Pink (2) Abandonado (1) Aborto (9) Adoração (18) Agostinho (1) Aids (1) Alegria (22) Aliança (1) Alívio (1) Almas (17) Amarás o Próximo (1) Amargura (1) Amém (3) Amizade (5) Amor (70) Anátema (1) Angústia (2) Animais (1) Anjos (3) Anorexia (1) Ansiedade (5) Anticristo (2) Antidepressivo (1) Antigo Testamento (1) Apocalipse (10) Apostasia (5) Apóstolo Paulo (4) Arca de noé (2) Arrebatamento (3) Arrependimento (22) Arrogância (1) Arthur W. Pink (5) As Igrejas de todos os Tipos e para todos os Gostos (1) Ateísmo (4) Ateus (5) Augustus Nicodemus (2) Autoridade (4) Avareza (1) Aviso (2) Avivamento (10) Batalha Espiritual (7) Batismo (4) Bebida Alcóolica (1) Benção (2) Bíblia (49) Boas Novas (1) Bullying (1) Cálice (2) Calvinismo (2) Campanhas no Facebook (1) Cansado (1) Caráter (4) Carnal (1) Carnaval (2) Carne (11) Carta de Deus e do Inferno (2) Carter Conlon (1) Casamento (32) Castigo (1) Catolicismo.Religiao (1) Céu (14) Chamados ao primeiro amor (5) Charles Haddon Spurgeon (274) Cigarro (1) Circo ou Igreja? (1) Cirurgia Plástica (1) Citações Redes Sociais (2) Clodoaldo Machado (1) Cobiça (1) Comunhão (4) Comunidade no Orkut (1) Conhecendo as Histórias da Bíblia (1) Conhecimento (2) Consciência (2) Consolador (3) Copa do Mundo (1) Coração (31) Coragem (4) Corra (1) Corrompidos (1) Cosmovisão Cristã (1) Crer em Jesus (3) Criação (3) Criança (7) Cristãos (60) Cristianismo (19) Cristo (85) Crucificaram (1) Cruz (29) Culto (2) Cultura (4) Cura (6) David Wilkerson (43) Demônio (4) Dennis Allan (23) Denominações (1) Dependência (2) Depravação Humana (11) Depressão (6) Desanimado e fraco (11) Descanso (1) Desejo (1) Desenhos para Crianças (9) Deserto (1) Desigrejados (1) Desonra (1) Desprezado e Rejeitado (3) Desviado (5) Deus (328) Devoção (1) Diabo (9) Dinheiro (11) Discernimento (1) Discipulado (7) Discípulos Verdadeiros (4) Divórcio (9) Divulgue esse Blog (2) Dízimos e Ofertas (3) Dons Espirituais (1) Dor (6) Dores de Parto (1) Doutrinas (5) Dr J.R (1) Drogas (1) Dúvidas (1) Eclesiastes (1) Ego (1) Enganados (1) Envelhecer com Deus (1) Equilibrio (1) Errando (2) Escolha (2) Escolhidos De Deus (10) Escravo por Amor (2) Esforço (1) Esperança (8) Espíritismo (1) Espirito Santo (27) Espirituais (35) Estudo da Bíblia (257) Estudo Livro de Romanos por John Piper (17) Estudo Livro de Rute por John Piper (5) Eternidade (10) Eu Não Consigo (1) Evangelho (76) Evangelho da Prosperidade (13) Evangelho do Reino (1) Evangelismo (5) Evangelizar pela Internet (7) Evolução (1) Exaltação (1) Êxodo (1) Exortação (3) Ezequiel (1) Falar em Linguas (3) Falsos Profetas(Enganação) (17) Família (16) Fariseus (3) (49) Felicidade (6) Festas do Mundo (1) Festas juninas(São João) (1) Fiél (3) Filmes Bíblicos (43) Finais dos Tempos (11) Força (1) Fruto (8) Futebol (1) Gálatas (1) George Müller (1) George Whitefield (2) Glória (44) Graça (47) Gratidão (3) Guerra (4) Hebreus (1) Heresias (3) Hernandes Lopes (110) Hinos (1) Homem (46) Homossexual (6) Honra (1) Humanismo (1) Humildade (9) Humilhado (8) Idolatria (12) Idoso (1) Ignorância (1) Igreja (79) Ímpios (1) Incentivo (1) Incredulidade (2) Inferno (8) Ingratidão (2) Inimigo (2) Inquisição Católica (1) Intercessão (1) Intercessor (1) Intervenção (9) Intimidade (1) Inutéis (1) Inveja (1) Ira (12) Isaías (1) J. C. Ryle (9) James M. Boice (1) Jejum (4) Jeremias (2) Jesus (88) (1) João (4) João Calvino (145) Jogos VIDEO GAMES (2) John Owen (15) John Pipper (587) John Stott (28) John Wesley (1) Jonathan Edwards (92) José (1) Joseph Murphy (1) Josué Yrion (8) Jovens (15) Julgamento (20) Justiça (2) Lave os pés dos seus irmãos Vá em busca dos perdidos e fale do amor de Deus (1) Leão da Tribo de Judá (1) Legalismo vs. Bem-Aventuranças (1) Leonard Ravenhill (52) Liberdade (10) Língua (5) Livre arbítrio (10) Livros (67) Louvor (4) Lutar (7) Maçonaria e Fé Cristã (1) Mãe (2) Mal (18) Maldições Hereditárias (3) Manifestações Absurdas (2) Marca da Besta (1) Mártires (5) Martyn Lloyd-Jones (173) Masturbação (2) Mateus (2) Maturidade (2) Médico dos Médicos (1) Medo (2) Mefibosete (1) Mensagens (372) Mentira (8) Milagres (2) Ministério (10) Misericórdia (13) Missão portas abertas (21) Missões (27) Missões Cristãos em Defesa do Evangelho (1) Monergismo (1) Morrendo (12) Morte (43) Morte de um ente querido que não era crente (1) Mulher (11) Mulheres pastoras (2) Mundanismo (3) Mundo (28) Murmuração (3) Músicas (38) Músicas nas Igrejas.Louvor (8) Namoro ou Ficar (12) Natal (4) Noiva de Cristo (2) Nosso Corpo (1) Novo convertido (10) Novo Nascimento (11) O Semeador (1) O Seu Chamado (13) Obediencia (8) Obras (15) Obreiros (2) Observador (2) Oração (67) Orgulho (10) Orgulho Espiritual (1) Orkut (1) Paciência (7) Pai (1) Pais e Filhos (21) Paixão (3) Paixão de Cristo (2) Parábola Filho Pródigo (2) Parábolas (9) participe do nosso grupo e curta nossa página! (1) Páscoa (1) Pastor (18) Paul Washer (216) Paulo Junior (239) Paz (4) Pecado (106) Pecadores (12) Pedofilia (2) Perdão (16) perse (1) Perseguição (13) Pobre (4) Poder (18) Por que tarda o pleno Avivamento? (3) Pornografia (8) Porque Deus permite o sofrimento dos inocentes (2) Porta Estreita (2) Pregação (24) PREGAÇÕES COMPLETAS INTRODUÇÃO ESCOLA DE OBREIROS (1) Profecias (3) Profetas (3) Prostituição (2) Provação (2) Provar o Evangelho Para Aqueles que Não acreditam Na Bíblia (1) Provérbios (1) Púlpito (3) Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma (1) R. C. Sproul (29) Realidade (1) Rebelde (1) Redes Sociais (2) Reencarnação (2) Refletindo Sobre Algumas coisas (1) Reforma e Reavivamento (1) Reforma Protestante (3) Refúgio (2) Regeneração (16) Rei (3) Relativismo (1) Religião (7) Renúncia (2) Ressuscitou (5) Revelação (1) Ricardo Gondim (1) Richard Baxter (7) Rico (12) Romanos (20) Roupas (1) Rupert Teixeira (4) Rute (5) Sabedoria (12) Sacrifício (3) Salvação (45) Sangue de Cristo (3) Santa Ceia (2) Santidade (34) Satanás (15) Secularismo (1) Segurança Completa (1) Seitas (3) Semente (1) Senhor (10) Sensualidade (2) Sermão da Montanha (2) Servos Especiais (4) Sexo (8) Sinais e Maravilhas (2) Soberba (1) Sofrimento (24) Sola Scriptura (1) Sola Scriptura Solus Christus Sola Gratia Sola Fide Soli Deo Gloria (4) Soldado (1) Sozinho (3) Steven Lawson (12) Submissão (1) Suicídio (2) Televisão um Perigo (8) Temor (4) Tempo (5) Tentação (9) Teologia (2) Teologia da Prosperidade (4) Tesouro que foi achado (4) Tessalonicenses 1 (1) Testemunhos (29) Thomas Watson (17) Tim Conway (38) Timóteo (1) Todo homem pois seja pronto para ouvir tardio para falar tardio para se irar Tiago 1.19 (1) Trabalho (2) Tragédia Realengo Rio de Janeiro (2) Traição (4) Transformados (1) Trevas e Luz (2) Tribulação (10) Trindade (2) Tristeza (5) Trono branco (2) Tsunami no Japão (2) tudo (231) Uma Semente de Amor para Russia (1) Unção (3) Ungir com Óleo (1) Vaidade (3) Vaso (2) Velho (1) Verdade (30) Vergonha (3) Vestimentas (1) Vícios (6) Vida (39) Vincent Cheung (1) Vitória (5) Vontade (1) Votação (1) Yoga (1)

Comentários:

Mensagem do Dia

O homem, cujo tesouro é o Senhor, tem todas as coisas concentradas nEle. Outros tesouros comuns talvez lhe sejam negados, mas mesmo que lhe seja permitido desfrutar deles, o usufruto de tais coisas será tão diluído que nunca é necessário à sua felicidade. E se lhe acontecer de vê-los desaparecer, um por um, provavelmente não experimentará sensação de perda, pois conta com a fonte, com a origem de todas as coisas, em Deus, em quem encontra toda satisfação, todo prazer e todo deleite. Não se importa com a perda, já que, em realidade nada perdeu, e possui tudo em uma pessoa Deus de maneira pura, legítima e eterna. A.W.Tozer

"A conversão tira o cristão do mundo; a santificação tira o mundo do cristão." JOHN WESLEY"

Minha foto

Darliana+ Missões Cristãos em Defesa do Evangelho+✿Apenas uma alma que foi resgatada através da graça e misericórdia de Deus,Dai de graça o que de graça recebeste' (Mt. 10,8). Latim para estar em consonância com as cinco teses que dão sustentação ao “pensamento”e à vida do genuíno cristão reformado: sola scriptura,sola gratia, sola fide,solus christus, soli deo gloria. E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará." (João 8 : 32) "Um cristão verdadeiro é uma pessoa estranha em todos os sentidos." Ele sente um amor supremo por alguém que ele nunca viu; conversa familiarmente todos os dias com alguém que não pode ver; espera ir para o céu pelos méritos de outro; esvazia-se para que possa estar cheio; admite estar errado para que possa ser declarado certo; desce para que possa ir para o alto; é mais forte quando ele é mais fraco; é mais rico quando é mais pobre; mais feliz quando se sente o pior. Ele morre para que possa viver; renuncia para que possa ter; doa para que possa manter; vê o invisível, ouve o inaudível e conhece o que excede todo o entendimento." A.W.Tozer✿

Postagens Populares

Bíblia OnLine - Leitura e Audio

Bíblia OnLine - Leitura e Audio
Alimentar-se da Palavra "Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração." (Hebreus 4 : 12).Erram por não conhecer as Escrituras, e nem o poder de Deus (Mateus 22.29)Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo. Apocalipse 1:3

Feed: Receba Atualizações Via Email

Coloque o seu endereço de email e receba atualizações e conteúdos exclusivos:

Cadastre seu E-mail.Obs.: Lembre-se de clicar no link de confirmação enviado ao seu e-mail.