Tradutor

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

8 de set de 2011

Falta De Conhecimento - Paulo junior - Conhecimento e Avaliação - James M. Boice



Um conhecimento saudável é fundamental para qualquer coisa. "Que diremos...?", Paulo pergunta no início de toda a sua discussão. O crescimento na justiça e uma vida piedosa estão baseados em princípios espirituais que devem ser conhecidos antes que possam nos fazer algum bem.

Perceba quantas vezes nesses versos Paulo usa a palavra saber e seus cognatos: "Ou, porventura, ignorais [não sabeis] que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte?" (v. 3). "Sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos" (v. 6). "Sabedores de que, havendo Cristo ressuscitado dentre os mortos, já não morre; a morte já não tem domínio sobre ele" (v. 9). "Não sabeis que daquele a quem vos ofereceis como servos para obediência, desse mesmo a quem obedeceis sois servos, seja do pecado para a morte ou da obediência para a justiça" (v. 16). "Porventura, ignorais, irmãos (pois falo aos que conhecem a lei), que a lei, tem domínio sobre o homem toda a sua vida?" (7.1, conferir também 7.14,18).

Em alguns círculos é costume denegrir o conhecimento e elevar a paixão, o misticismo, o amor fraternal, a fé cega, ou o que quer que seja. A doutrina cristã do pecado é freqüentemente estabelecida contra o Cristianismo prático, como se os dois fossem contrários. A verdade é ignorada e a harmonia exaltada. O conhecimento é desprezado enquanto o sentimento é elevado. A razão é rejeitada e o sentimento colocado em seu lugar. A compreensão é menosprezada e a credulidade encorajada. Isso destrói a genuína maturidade espiritual, que é sempre baseada na sã doutrina (cf. Tt 1.6-9).

Naturalmente, o conhecimento sozinho não é virtude. Se alguém "sabe que deve fazer o bem e não faz nisso está pecando" (Tg 4.17). O conhecimento sem amor corrompe o caráter: "No que se refere às coisas sacrificadas a ídolos, reconhecemos que todos somos senhores do saber" (1 Co 8.1). O conhecimento que não se mistura com a obediência endurece o coração: "Porque, se vivermos deliberadamente em pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados" (Hb 10.26). O conhecimento pode ser destrutivo quando não é temperado com outras virtudes: "Porque, se alguém te vir a ti, que és dotado de saber, à mesa, em templo de ídolo, não será a consciência do que é fraco induzida a participar de comida sacrificada a ídolos? E assim, por causa do teu saber, perece o irmão fraco, pelo qual Cristo morreu" (ICo 8.10,11).

Porém, a falta de conhecimento é até ainda mais mortal. Israel rejeitou a Cristo porque tinha zelo sem conhecimento (Rm 10.2). Oséias registrou a reclamação do Senhor contra os líderes espirituais de Israel: "O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porque tu, sacerdote, rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não seja sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos" (Os 4.6). Isaías registrou uma acusação semelhante: "O boi conhece o seu possuidor, e o jumento, o dono da sua manjedoura; mas Israel não tem conhecimento, o meu povo não entende" (Is 1.3).

Todo crescimento espiritual está baseado no conhecimento da verdade. A sã doutrina é crucial para um caminhar espiritual bem-sucedido: "Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina" (Tt 2.1). Paulo disse aos colossenses que o novo homem é renovado pelo verdadeiro conhecimento (Cl 3.10). O conhecimento é o fundamento para a nossa nova posição em Cristo. Toda a vida do cristão está estabelecida no conhecimento dos princípios divinos, a sã doutrina e a verdade bíblica. Aqueles que repudiam o conhecimento, na verdade abandonam as formas mais básicas do crescimento e saúde espiritual, enquanto se tornam vulneráveis a uma multidão de inimigos espirituais.

E, como Paulo sugere em Romanos 6, se temos que experimentar a vitória contra o pecado, ela deve começar com o conhecimento. O que, especificamente, devemos conhecer? Nossa posição em Cristo: "Sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos; porquanto quem morreu está justificado do pecado". (Rm 6.6,7). Devemos entender as verdades que focalizamos neste livro: que estamos unidos com Cristo em sua morte e ressurreição e, portanto, livres da antiga escravidão do pecado.
Avaliação

Talvez você esteja pensando consigo mesmo: "Eu conheço essas verdades. Mas como o próprio Paulo, ainda me sinto incapaz de desvencilhar-me da influência do pecado. O que devo fazer agora? " Paulo nos diz: "Assim também vós considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus" (Rm 6.11). A palavra reckon ("considerai" na tradução da ARA) é logizomai, que literalmente significa "calcular ou contar alguma coisa". É a mesma palavra que Jesus usou quando ele citou Isaías 53.12: "Ele foi contado com os malfeitores" (Lc 22.37).

"Considerai-vos", nesse sentido, está além do conhecimento. Tira a nossa fé do reino puramente intelectual e a torna supremamente prática. Paulo está sugerindo que nossa união com Cristo deve ser mais do que uma verdade teórica. Devemos contar com ela. Considerá-la uma realidade, tê-la como concluída — e agir de acordo. "Assim também vós considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus. Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, de maneira que obedeçais às paixões" (Rm 6.11,12).

Considerar nosso velho homem morto certamente não é uma coisa fácil. Muito em nossa experiência parece argumentar contra a verdade que sabemos em nosso coração. Podemos ser libertos do domínio do pecado, mas em nossa batalha diária contra o pecado freqüentemente ela se parece muito com a velha escravidão. Apesar disso devemos nos considerar mortos para o pecado e vivos para Deus. Não podemos viver como se o velho homem ainda estivesse no controle.

Neste ponto pode parecer que o conselho de Paulo tem algo em comum com a ideologia do moderno "pensamento positivo" e dos cultos à auto-estima. Mas Paulo não estava propondo um mero jogo mental. Não estava dizendo que deveríamos buscar nos convencer de algo que não é verdadeiro. Não estava sugerindo que deveríamos nos considerar num nível espiritual que ainda não alcançamos. Não estava sugerindo para suspendermos o funcionamento nossa mente e sonharmos com algo que na realidade não aconteceu.

Pelo contrário, estava afirmando a verdade absoluta da união do cristão com Cristo, e nos garantindo que é possível viver na luz da verdade. Nosso velho homem está morto. A Palavra de Deus declara isso. Devemos considerar isso como verdade.

Muitos cristãos fracassam nesse ponto. Acham que estão irremediavelmente escravizados ao pecado. Foram ensinados que a velha natureza ainda está viva com toda a sua fúria. Não compreendem que Cristo quebrou o poder do pecado. E, portanto, não podem viver vitoriosamente. Não se consideram genuinamente mortos para o pecado.

Esta é exatamente a razão por que me oponho ao dualismo que foi popularizado pela Bíblia Scofield. Já que provavelmente esta é a visão predominante no evangelicalismo americano hoje, é proveitoso examinar o que está sendo ensinado.

Scofield cria que todo cristão tem duas naturezas ativas — "a natureza velha ou adâmica, e a natureza divina recebida quando do novo nascimento". Estas, ele ensina, são realidades iguais mas opostas que agem em todo crente. A velha natureza adâmica — com seu amor ao pecado, com sua depravação radical, com toda sua propensão para o mal, e com sua insensibilidade para amar a Deus ou fazer o que é bom — está ainda viva e poderosa. A nova natureza divina é dada somente aos cristãos, mas uma vez implantada no nosso íntimo, compete com a velha pelo controle da vontade. Portanto, de acordo com essa visão, cada cristão tem ainda a velha natureza pecaminosa com a qual ele luta — mas agora tem também uma nova e piedosa natureza. Isso é um tipo de esquizofrenia espiritual. Ela vê a conversão não tanto como uma transformação da pessoa, mas sim como a adição de uma nova natureza.

Um outro autor, que compartilha do mesmo ponto de vista de Scofield sobre as duas naturezas, escreveu:

Quando o "Novo Homem" nasce no coração do crente, o "Velho Homem" não morre. Ele ainda está lá, e muito vivo. As duas naturezas, -exatamente opostas, lutam pela possessão do mesmo corpo, como dois inquilinos pela possessão do mesma casa... Devemos nos lembrar que não podemos nos livrar da "Velha Natureza" até a morte do nosso corpo de "carne".

O dualismo desse ponto de vista inevitavelmente frustra o crescimento do cristão. Afinal de contas, se a nossa velha natureza está tão viva e poderosa como sempre, como podemos verdadeiramente nos considerar mortos para o pecado e vivos para Deus? De fato, poderia parecer um tanto perigoso julgar o velho homem morto se ele realmente ainda estivesse "muito vivo".

Na verdade, aqueles que defendem a visão das duas naturezas têm um grande problema com os ensinos de Paulo em Romanos 6.11. Por acreditarem que o velho homem pecaminoso ainda vive, por definição não podem se considerar mortos para o pecado. Eles não podem considerar a velha natureza crucificada com Cristo ou crer que o corpo do pecado foi anulado. Isso é óbvio nos escritos deles. O mesmo autor que citei acima escreveu: "Devemos nos lembrar que nós podemos deixar de alimentar o Velho Homem e ele pode se tornar tão fraco que nos causará pouquíssimos problemas, e daí poderemos considerá-lo morto; mas ele não está morto, pois se começarmos a alimentá-lo novamente, ele reviverá e recuperará sua forças e nos causará problemas". Essa citação ilustra perfeitamente por que aqueles que defendem a visão das duas naturezas não ousam considerar o velho homem como estando morto. Seu sistema lhes diz que o velho homem não está realmente morto, e portanto aqueles que o consideram morto, sentem que podem estar colocando a si mesmos numa perigosa posição de presunção.

Algumas pessoas até mesmo usam o ponto de vista das duas naturezas como uma desculpa para o seu pecado. "É apenas a velha natureza que peca", alegam elas — como se não fossem pessoalmente responsáveis. Tal conceito dá espaço para a destruição da consciência e impede seriamente o crescimento espiritual. Ele nega a responsabilidade pessoal e assim entorpece a consciência.

R. L. Dabney argumentou contra uma antiga forma dessa visão de duas naturezas há mais de um século. Ele notou as "tendências antinomianas" dessa doutrina:

Se alguém crê que tem dois "verdadeiros homens", ou " duas naturezas" nele, será tentado a argumentar que o novo homem não é, de maneira alguma, responsável pela perversidade do velho. Essa é uma dedução perigosa... [e se] a velha natureza nunca perder um pouco de sua força até a morte, então a presença, e até o escândalo da presença do pecado precisam, sem dúvida alguma, sugerir ao crente se sua fé não é legítima. Como é possível negar que aqui existe o terrível perigo da segurança carnal do pecado? Quão diferente é isso do que a Bíblia diz em Tg 2.18, "Mas alguém dirá: tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me essa tua fé sem as obras, e eu, com as obras te mostrarei a minha fé". Se, então, qualquer crente professo descobrir o "velho homem" em sua força total, essa é uma prova de que ele nunca "revestiu-se do novo homem".

As Escrituras não apoiam a visão dualista. Romanos 6.6 claramente diz que nosso velho homem foi crucificado com Cristo. A pessoa que existia antes de confiarmos em Cristo já não existe mais. A tirania do pecado foi anulada. Nossa natureza mudou, transformou-se. Agora somos uma nova criatura, não meramente a mesma velha criatura com um novo lado acrescentado à nossa personalidade. Temos um novo coração — não um a mais que foi acrescentado, mas um completamente diferente. Isso, afinal de contas, é a promessa do Novo Pacto: "Dar-vos-ei coração novo e porei dentro em vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne" (Ez 36.26; ênfase acrescentada). Esse novo coração tem uma consciência. Ele é responsável.

Você pode contar com ele. Considere-o. Considere-o consumado.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marcadores

(I Pedro 5:8) (1) 1 Coríntios (3) 1 Pedro (1) 1Pedro (1) 2 Pedro (2) A (1) A palavra da Cruz é Loucura (3) A Parábola do Rico e Lázaro (1) a Semente e os Solos (1) A Volta de Jesus (4) A. W. Tozer (36) A.W Pink (2) Abandonado (1) Aborto (9) Adoração (18) Agostinho (1) Aids (1) Alegria (22) Aliança (1) Alívio (1) Almas (17) Amarás o Próximo (1) Amargura (1) Amém (3) Amizade (5) Amor (70) Anátema (1) Angústia (2) Animais (1) Anjos (3) Anorexia (1) Ansiedade (5) Anticristo (2) Antidepressivo (1) Antigo Testamento (1) Apocalipse (10) Apostasia (5) Apóstolo Paulo (4) Arca de noé (2) Arrebatamento (3) Arrependimento (22) Arrogância (1) Arthur W. Pink (5) As Igrejas de todos os Tipos e para todos os Gostos (1) Ateísmo (4) Ateus (5) Augustus Nicodemus (2) Autoridade (4) Avareza (1) Aviso (2) Avivamento (10) Batalha Espiritual (7) Batismo (4) Bebida Alcóolica (1) Benção (2) Bíblia (49) Boas Novas (1) Bullying (1) Cálice (2) Calvinismo (2) Campanhas no Facebook (1) Cansado (1) Caráter (4) Carnal (1) Carnaval (2) Carne (11) Carta de Deus e do Inferno (2) Carter Conlon (1) Casamento (32) Castigo (1) Catolicismo.Religiao (1) Céu (14) Chamados ao primeiro amor (5) Charles Haddon Spurgeon (274) Cigarro (1) Circo ou Igreja? (1) Cirurgia Plástica (1) Citações Redes Sociais (2) Clodoaldo Machado (1) Cobiça (1) Comunhão (4) Comunidade no Orkut (1) Conhecendo as Histórias da Bíblia (1) Conhecimento (2) Consciência (2) Consolador (3) Copa do Mundo (1) Coração (31) Coragem (4) Corra (1) Corrompidos (1) Cosmovisão Cristã (1) Crer em Jesus (3) Criação (3) Criança (7) Cristãos (60) Cristianismo (19) Cristo (85) Crucificaram (1) Cruz (29) Culto (2) Cultura (4) Cura (6) David Wilkerson (43) Demônio (4) Dennis Allan (23) Denominações (1) Dependência (2) Depravação Humana (11) Depressão (6) Desanimado e fraco (11) Descanso (1) Desejo (1) Desenhos para Crianças (9) Deserto (1) Desigrejados (1) Desonra (1) Desprezado e Rejeitado (3) Desviado (5) Deus (328) Devoção (1) Diabo (9) Dinheiro (11) Discernimento (1) Discipulado (7) Discípulos Verdadeiros (4) Divórcio (9) Divulgue esse Blog (2) Dízimos e Ofertas (3) Dons Espirituais (1) Dor (6) Dores de Parto (1) Doutrinas (5) Dr J.R (1) Drogas (1) Dúvidas (1) Eclesiastes (1) Ego (1) Enganados (1) Envelhecer com Deus (1) Equilibrio (1) Errando (2) Escolha (2) Escolhidos De Deus (10) Escravo por Amor (2) Esforço (1) Esperança (8) Espíritismo (1) Espirito Santo (27) Espirituais (35) Estudo da Bíblia (257) Estudo Livro de Romanos por John Piper (17) Estudo Livro de Rute por John Piper (5) Eternidade (10) Eu Não Consigo (1) Evangelho (76) Evangelho da Prosperidade (13) Evangelho do Reino (1) Evangelismo (5) Evangelizar pela Internet (7) Evolução (1) Exaltação (1) Êxodo (1) Exortação (3) Ezequiel (1) Falar em Linguas (3) Falsos Profetas(Enganação) (17) Família (16) Fariseus (3) (49) Felicidade (6) Festas do Mundo (1) Festas juninas(São João) (1) Fiél (3) Filmes Bíblicos (43) Finais dos Tempos (11) Força (1) Fruto (8) Futebol (1) Gálatas (1) George Müller (1) George Whitefield (2) Glória (44) Graça (47) Gratidão (3) Guerra (4) Hebreus (1) Heresias (3) Hernandes Lopes (110) Hinos (1) Homem (46) Homossexual (6) Honra (1) Humanismo (1) Humildade (9) Humilhado (8) Idolatria (12) Idoso (1) Ignorância (1) Igreja (79) Ímpios (1) Incentivo (1) Incredulidade (2) Inferno (8) Ingratidão (2) Inimigo (2) Inquisição Católica (1) Intercessão (1) Intercessor (1) Intervenção (9) Intimidade (1) Inutéis (1) Inveja (1) Ira (12) Isaías (1) J. C. Ryle (9) James M. Boice (1) Jejum (4) Jeremias (2) Jesus (88) (1) João (4) João Calvino (145) Jogos VIDEO GAMES (2) John Owen (15) John Pipper (587) John Stott (28) John Wesley (1) Jonathan Edwards (92) José (1) Joseph Murphy (1) Josué Yrion (8) Jovens (15) Julgamento (20) Justiça (2) Lave os pés dos seus irmãos Vá em busca dos perdidos e fale do amor de Deus (1) Leão da Tribo de Judá (1) Legalismo vs. Bem-Aventuranças (1) Leonard Ravenhill (52) Liberdade (10) Língua (5) Livre arbítrio (10) Livros (67) Louvor (4) Lutar (7) Maçonaria e Fé Cristã (1) Mãe (2) Mal (18) Maldições Hereditárias (3) Manifestações Absurdas (2) Marca da Besta (1) Mártires (5) Martyn Lloyd-Jones (173) Masturbação (2) Mateus (2) Maturidade (2) Médico dos Médicos (1) Medo (2) Mefibosete (1) Mensagens (372) Mentira (8) Milagres (2) Ministério (10) Misericórdia (13) Missão portas abertas (21) Missões (27) Missões Cristãos em Defesa do Evangelho (1) Monergismo (1) Morrendo (12) Morte (43) Morte de um ente querido que não era crente (1) Mulher (11) Mulheres pastoras (2) Mundanismo (3) Mundo (28) Murmuração (3) Músicas (38) Músicas nas Igrejas.Louvor (8) Namoro ou Ficar (12) Natal (4) Noiva de Cristo (2) Nosso Corpo (1) Novo convertido (10) Novo Nascimento (11) O Semeador (1) O Seu Chamado (13) Obediencia (8) Obras (15) Obreiros (2) Observador (2) Oração (67) Orgulho (10) Orgulho Espiritual (1) Orkut (1) Paciência (7) Pai (1) Pais e Filhos (21) Paixão (3) Paixão de Cristo (2) Parábola Filho Pródigo (2) Parábolas (9) participe do nosso grupo e curta nossa página! (1) Páscoa (1) Pastor (18) Paul Washer (216) Paulo Junior (239) Paz (4) Pecado (106) Pecadores (12) Pedofilia (2) Perdão (16) perse (1) Perseguição (13) Pobre (4) Poder (18) Por que tarda o pleno Avivamento? (3) Pornografia (8) Porque Deus permite o sofrimento dos inocentes (2) Porta Estreita (2) Pregação (24) PREGAÇÕES COMPLETAS INTRODUÇÃO ESCOLA DE OBREIROS (1) Profecias (3) Profetas (3) Prostituição (2) Provação (2) Provar o Evangelho Para Aqueles que Não acreditam Na Bíblia (1) Provérbios (1) Púlpito (3) Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma (1) R. C. Sproul (29) Realidade (1) Rebelde (1) Redes Sociais (2) Reencarnação (2) Refletindo Sobre Algumas coisas (1) Reforma e Reavivamento (1) Reforma Protestante (3) Refúgio (2) Regeneração (16) Rei (3) Relativismo (1) Religião (7) Renúncia (2) Ressuscitou (5) Revelação (1) Ricardo Gondim (1) Richard Baxter (7) Rico (12) Romanos (20) Roupas (1) Rupert Teixeira (4) Rute (5) Sabedoria (12) Sacrifício (3) Salvação (45) Sangue de Cristo (3) Santa Ceia (2) Santidade (34) Satanás (15) Secularismo (1) Segurança Completa (1) Seitas (3) Semente (1) Senhor (10) Sensualidade (2) Sermão da Montanha (2) Servos Especiais (4) Sexo (8) Sinais e Maravilhas (2) Soberba (1) Sofrimento (24) Sola Scriptura (1) Sola Scriptura Solus Christus Sola Gratia Sola Fide Soli Deo Gloria (4) Soldado (1) Sozinho (3) Steven Lawson (12) Submissão (1) Suicídio (2) Televisão um Perigo (8) Temor (4) Tempo (5) Tentação (9) Teologia (2) Teologia da Prosperidade (4) Tesouro que foi achado (4) Tessalonicenses 1 (1) Testemunhos (29) Thomas Watson (17) Tim Conway (38) Timóteo (1) Todo homem pois seja pronto para ouvir tardio para falar tardio para se irar Tiago 1.19 (1) Trabalho (2) Tragédia Realengo Rio de Janeiro (2) Traição (4) Transformados (1) Trevas e Luz (2) Tribulação (10) Trindade (2) Tristeza (5) Trono branco (2) Tsunami no Japão (2) tudo (231) Uma Semente de Amor para Russia (1) Unção (3) Ungir com Óleo (1) Vaidade (3) Vaso (2) Velho (1) Verdade (30) Vergonha (3) Vestimentas (1) Vícios (6) Vida (39) Vincent Cheung (1) Vitória (5) Vontade (1) Votação (1) Yoga (1)

Comentários:

Mensagem do Dia

O homem, cujo tesouro é o Senhor, tem todas as coisas concentradas nEle. Outros tesouros comuns talvez lhe sejam negados, mas mesmo que lhe seja permitido desfrutar deles, o usufruto de tais coisas será tão diluído que nunca é necessário à sua felicidade. E se lhe acontecer de vê-los desaparecer, um por um, provavelmente não experimentará sensação de perda, pois conta com a fonte, com a origem de todas as coisas, em Deus, em quem encontra toda satisfação, todo prazer e todo deleite. Não se importa com a perda, já que, em realidade nada perdeu, e possui tudo em uma pessoa Deus de maneira pura, legítima e eterna. A.W.Tozer

"A conversão tira o cristão do mundo; a santificação tira o mundo do cristão." JOHN WESLEY"

Minha foto

Darliana+ Missões Cristãos em Defesa do Evangelho+✿Apenas uma alma que foi resgatada através da graça e misericórdia de Deus,Dai de graça o que de graça recebeste' (Mt. 10,8). Latim para estar em consonância com as cinco teses que dão sustentação ao “pensamento”e à vida do genuíno cristão reformado: sola scriptura,sola gratia, sola fide,solus christus, soli deo gloria. E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará." (João 8 : 32) "Um cristão verdadeiro é uma pessoa estranha em todos os sentidos." Ele sente um amor supremo por alguém que ele nunca viu; conversa familiarmente todos os dias com alguém que não pode ver; espera ir para o céu pelos méritos de outro; esvazia-se para que possa estar cheio; admite estar errado para que possa ser declarado certo; desce para que possa ir para o alto; é mais forte quando ele é mais fraco; é mais rico quando é mais pobre; mais feliz quando se sente o pior. Ele morre para que possa viver; renuncia para que possa ter; doa para que possa manter; vê o invisível, ouve o inaudível e conhece o que excede todo o entendimento." A.W.Tozer✿

Postagens Populares

Bíblia OnLine - Leitura e Audio

Bíblia OnLine - Leitura e Audio
Alimentar-se da Palavra "Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração." (Hebreus 4 : 12).Erram por não conhecer as Escrituras, e nem o poder de Deus (Mateus 22.29)Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo. Apocalipse 1:3

Feed: Receba Atualizações Via Email

Coloque o seu endereço de email e receba atualizações e conteúdos exclusivos:

Cadastre seu E-mail.Obs.: Lembre-se de clicar no link de confirmação enviado ao seu e-mail.