Tradutor

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

8 de nov de 2010

Martinho Lutero - Somos Cativos do Pecado – R. C. Sproul

 




Em 1 de setembro de 1524, Desidério Erasmo de Roterdã publicou sua obra intitulada (Diatribe seu collatio de libero arbítrio). Em dezembro do ano seguinte,Martinho Lutero respondeu com o seu famoso (De servo arbítrio). O livro de Lutero era quatro vezes maior do que o de Erasmo e aguçadamente polêmico em estilo.

Lutero considerava A Escravidão da Vontade o seu livro mais importante porque falava de questões que ele considerava como sendo o cor ecclesiae, o própriocoração da igreja. Em 1537, Lutero observou que nenhum de seus livros merecia preservação a não ser o seu catecismo para crianças e A Escravidão da Vontade. B. B. Warfield chamou A Escravidão da Vontade o "manifesto" da Reforma Protestante. Sigurd Normann, bispo de Oslo, referiu-se a ele como "o mais excelente e poderoso Soli Deo Gloria que foi cantado em todo o período da Reforma," uma avaliação citada com aprovação por Gordon Ruppe por J. I. Packer e O. R. Johnston.

Lutero começa A Escravidão da Vontade enfatizando a clareza da Escritura nos assuntos da salvação e o papel da Escritura como o árbitro final do debate. Em seguida, ele explica o quanto é importante para o cristão ter uma visão correta da vontade humana e da dependência do pecador à graça de Deus. Ele desaprova Erasmo por ter declarado que o livre-arbítrio chama a atenção para uma das "doutrinas inúteis da qual podemos abrir mão," por dar muito pouca importância às questões envolvidas. Lutero escreveu:

"É não-religioso, sem propósito e supérfluo", você diz, "querer saber se nossa vontade realiza qualquer coisa em assuntos pertencentes à salvação eterna, ou se é totalmente passiva sob a obra da graça". Mas aqui você fala ao contrário, dizendo que a piedade cristã consiste em "lutar com toda a nossa força", e que"à parte da misericórdia de Deus, a nossa vontade é ineficaz". Aqui você claramente afirma que a vontade é, em algum sentido, ativa em assuntos pertencentes à salvação eterna, porque você a representa como luta; e, novamente, você a representa como o objeto da ação divina quando diz que sem a misericórdia de Deus, ela é ineficaz. Mas você não define os limites dentro dos quais deveríamos pensar da vontade como produzindo e como produzida; você esforça-se por engendrar a ignorância quanto ao que a misericórdia de Deus e a vontade do homem podem realizar, pelo seu próprio ensino do que a vontade do homem e a misericórdia de Deus realmente realizam!

Esse parágrafo capta a essência do debate entre Lutero e Erasmo e a luta clássica entre o agostinianismo e o semipelagianismo. O foco é sobre a questão da capacidade moral do homem e o grau da sua dependência à graça de Deus. Envolve a questão do teocentrismo versus antropocentrismo na teologia. Ele toca a questão do sola em sola gratia. Ambos os lados afirmavam a necessidade da graça, mas em debate (como no debate sobre a ( justificação) estava o sola. E a questão do monergismo versus sinergismo no início da redenção humana. O fator decisivo na salvação é algo que o homem faz ou algo que Deus faz?

O fato de Erasmo não parecer compreender a gravidade do assunto obviamente perturbou Lutero. Lutero concluiu: "Não é irreligioso, sem propósito ou supérfluo, mas é salutar, no mais alto grau, e necessário que um cristão saiba se sua vontade tem ou não algo que ver nos assuntos pertinentes à salvação".

A Vontade de Deus e a Presciência

Para Lutero, o tema tocava pesadamente na glória de Deus. E uma questão de conhecimento apropriado tanto de si mesmo quanto de Deus. Por essa razão, Lutero forçou o assunto da relação entre a presciencia de Deus e os acontecimentos humanos. A questão da presciencia divina ou conhecimento prévio é normalmente levantada em discussões com relação à providência divina, predestinação e eleição. Ela quase sempre surge quando o lívre-arbítrio é discutido. Se Deus conhece previamente todas as coisas que ocorrem e todas as ações humanas, fazemos todas as coisas necessariamente? Lutero afirma que Deus de fato conhece previamente todas as contingências, porém ele não tem o conhecimento prévio de forma contingente.

Quando falamos de contingências, queremos dizer ações possíveis. Por exemplo, um jogador de xadrez experiente considera os movimentos possíveis que seu oponente pode fazer em resposta ao seu próximo e próprio movimento. Para esse jogador de xadrez, essas são as contingências, acontecimentos que ele não pode predizer com certeza. Falamos de um plano de contingência, ao qual nos voltaremos se nosso plano original não funcionar como esperado. A teologia clássica afirma que Deus possui o atributo da onisciência. Essa onisciência é relacionada ao próprio ser de Deus como o ens perfectissimus, o mais perfeito ser. Em sua perfeição, Deus sabe perfeitamente todas as coisas. Isto é, sua onisciência perfeita inclui o conhecimento compreensivo de tudo o que existe.

Deus conhece tanto a dimensão micro quanto a macro de todo o universo. Ele sabe quantos fios de cabelo temos em nossa cabeça. Ele não somente sabe o que faremos antes de fazermos, como também conhece todas as opções que poderíamos ter escolhido no momento. Ele conhece todas as contingências. Porém, o conhecimento de Deus das contingências não é, ele mesmo, contingente. Sua presciência é perfeita e absoluta. Ele não é um Grande Jogador de Xadrez que deve esperar para ver o que faremos, mas ele sabe perfeitamente o que faremos antes de fazermos. Antes de uma palavra até mesmo ser formada em nossos lábios, ele já a conhece completamente. Desse modo Lutero responde a Erasmo:

É, então, fundamentalmente necessário e salutar para os cristãos saberem que Deus não conhece previamente de forma contingente, mas que ele antevê, tenciona e faz todas as coisas de acordo com a sua própria imutável, eterna e infalível vontade. Essa bomba golpeia absolutamente o "livre-arbítrio" e o destrói completamente; assim, aqueles que querem afirmá-lo, devem negar a minha bomba ou fingir não tê-la observado ou encontrar outro modo de evitá-la...

...Você insiste que deveríamos aprender a imutabilidade da vontade de Deus enquanto nos proíbe de conhecer a imutabilidade da sua presciência! Você supõe que ele não deseja o que antevê, ou que ele não antevê o que deseja? Se ele deseja o que antevê, sua vontade é eterna e imutável porque a sua natureza é assim. Disso se segue, por lógica irresistível, que tudo o que fazemos, por mais que nos pareça mutável e contingente, é, na realidade, feito necessária e imutavelmente com relação à vontade de Deus. Porque a vontade de Deus é eficaz e não pode ser impedida desde que o poder pertence à natureza de Deus; e sua sabedoria é tal que não pode ser ludibriada. Uma vez que sua vontade, então, não pode ser impedida, o que é feito não pode ser feito a não ser onde, quando, como, até onde e por quem ele antevê e deseja.

Lutero força a atenção à natureza e ao caráter de Deus. O ponto crucial de Lutero é que Deus deseja o que ele antevê e antevê tudo o que deseja. Lutero fala aqui da "lógica irresistível". Isso não significa que as pessoas não podem ou não resistem a essas afirmações. A história da igreja é cheia de registros de tal resistência. Seu ponto é que essa resistência não pode destruir o argumento. Se Deus deseja que algo aconteça, ele não pode ser ignorante quanto a isso. Ele não pode desejar sem saber o que está desejando. A maioria dos pensadores concorda prontamente com essa parte da equação. É a primeira afirmação que tem provocado debate furioso: Deus deseja tudo o que antevê. Agostinho afirmou a mesma coisa, mas com um qualitativo: Deus ordena (num certo sentido) tudo o que ocorre.

"num certo sentido" de Agostinho suaviza um pouco o golpe. Por trás das afirmações de Agostinho e Lutero encontra-se a doutrina total de Deus.Ambos afirmaram rigorosamente tanto a sua onipotência quanto a sua imutabilidade e onisciência. A onipotência contém a idéia de que Deus tem todo o poder e autoridade sobre a sua criação, incluindo as ações dos seres humanos. Tudo o que Deus sabe que irá acontecer, ele sabe que pode evitar que aconteça. Mesmo se a vontade de Deus for considerada passiva ou for descrita como a sua "vontade permissiva", ele ainda tem poder e autoridade para evitar. Se, por exemplo, Deus sabe que eu vou escolher o pecado, ele tem o poder para me aniquilar num momento para me impedir de pecar. Se ele escolhe não me destruir mas "deixar-me" pecar, ele assim o escolhe. Enquanto ele o sabe e permite, o que faço está dentro da extensão da sua vontade.

Necessidade sem Compulsão

Se Deus sabe antecipadamente o que irá acontecer, então o que acontece é seguro acontecer. O conhecimento prévio de Deus não é incerto. Isso levanta o espectro da necessidade: se desde a eternidade é seguro que algo irá acontecer, esse acontecimento é necessário! Se sim, como pode haver contingências, ou como o homem pode possuir qualquer atitude moral livre?

Lutero se sentia desconfortável com o termo necessidade. "De fato, eu desejaria que outro termo estivesse disponível para a nossa discussão do que o aceito, necessidade, o qual não pode precisamente ser usado para a vontade do homem ou para a de Deus", diz Lutero. "Seu significado é muito pungente e estranho ao assunto; porque sugere algum tipo de compulsão, e algo que é contra a vontade de alguém, o que não é parte da concepção em discussão. A vontade, de Deus ou do homem, faz o que faz, bem ou mal, não sob compulsão mas justamente como quer ou se agrada, como se fosse totalmente livre".

Lutero afirmou que Deus precisa de todas as coisas, mas apenas no sentido em que sua vontade as fazem certas. Lutero considerava vital esse ponto para o todo do Cristianismo. "Se você hesita em crer ou é muito orgulhoso para reconhecer que Deus antevê e deseja todas as coisas, não de forma contingente mas necessária e imutavelmente, como você pode acreditar, confiar e se fiar em suas promessas?", Lutero declara. "Se, então, formos ensinados e crermos que devemos ser ignorantes quanto ao conhecimento prévio necessário de Deus e a necessidade dos acontecimentos, a fé cristã será totalmente destruída e as promessas de Deus e todo o Evangelho caem completamente por terra; porque o único e essencial conforto em cada adversidade é sabermos que Deus não repousa mas, imutavelmente, faz com que todas as coisas aconteçam e sua vontade não pode ser resistida, alterada ou impedida".

Aqui, a principal preocupação pastoral de Lutero na discussão teológica se torna clara: o conforto e a esperança do crente. Confiar nas promessas de Deus é confiar no seu perfeito poder e integridade - que ele realizará o que prometeu. O regozijo do cristão é saber que as promessas de Deus irão necessariamente se realizar.

Erasmo afirmou que essas verdades misteriosas não deveriam ser proclamadas."O que pode ser mais inútil do que publicar ao mundo o paradoxo de que tudo o que fazemos é feito, não por 'livre-arbítrio', mas por mera necessidade e a visão de Agostinho de que Deus trabalha em nós tanto o bem quanto o mal; que ele recompensa as suas próprias boas obras em nós, e pune o seu próprio mal em nós?", escreveu Erasmo no prefácio de The Diatribe. "Que comporta de iniqüidade a difusão dessas notícias iria abrir para as pessoas! Que homem mau iria corrigir sua vida? Quem iria acreditar que Deus o ama? Quem iria lutar contra a sua carne?"

As preocupações mencionadas por Erasmo eram precisamente as mesmas dossemipelagianos que se opuseram a Agostinho. Também era uma preocupação pastoral, mas diferente da de Lutero. O perigo do fatalismo, o qual poderia representar todas as ações humanas como um exercício de futilidade, era uma grande preocupação de Erasmo. Lutero responde citando-o primeiramente e, então, respondendo.

Erasmo: Quem irá tentar e reformar sua vida?

Lutero: Ninguém!

Erasmo: Quem irá crer que Deus o ama?

Lutero: Ninguém! Ninguém pode! Mas o eleito deve crer; e o resto deve perecer sem crer, enfurecendo-se e blasfemando.

Erasmo: Uma comporta de iniqüidade é aberta por nossas doutrinas.

Lutero: Que seja.

Lutero insistia que, longe de abrir essa comporta, ele estava meramente sendo fiel à palavra de Deus. É Deus quem publica essas coisas, e ele assim o faz por causa dos seus eleitos.

Depois disso, Lutero retorna à questão da necessidade:

Eu disse "necessariamente"; eu não disse "compulsoriamente"; eu quis dizer por uma necessidade, não por compulsão, mas do que eles chamam de imutabilidade. Isto é: um homem sem o Espírito de Deus não pratica o mal contra a sua vontade, sob pressão, como se fosse tomado pelo pescoço e arrastado para ele, como um ladrão... sendo arrastado para o castigo contra a sua vontade; mas ele o comete de forma espontânea e voluntária. E seu desejo ou vontade é algo que ele não pode, em sua própria força, eliminar, reprimir ou alterar... a vontade não pode se alterar, nem dar a si mesma outra inclinação...

Por outro lado: quando Deus trabalha em nós, a vontade é mudada sob a doce influência do Espírito de Deus. Mais uma vez ela deseja e age, não por compulsão, mas por seu próprio desejo e inclinação espontânea.

A posição de Agostinho, Martinho Lutero, João Calvino e outros é freqüentemente caricaturada como querendo dizer que na eleição graciosa de Deus, ele conduz pessoas esperneando e gritando contra a vontade delas, para o seu reino. A visão de Agostinho é que Deus muda a vontade recalcitrante e escravizada do pecador por meio do Espírito que muda a sua inclinação interior, disposição ou tendência. Os agostinianos têm explicado essa concepção tantas vezes e de forma tão clara que é surpreendente que a caricatura seja tão freqüentemente repetida.

No The Diatribe, Erasmo argumentou que uma vontade que é impotente sem a graça, não é realmente livre. Lutero responde desta forma: "Você descreve o poder do 'livre-arbítrio' como pequeno e totalmente ineficaz à parte da graça de Deus. Concorda? Agora, então, eu lhe pergunto: se faltar a graça de Deus, se ela for tirada desse pequeno poder, o que ele pode fazer? Ele é ineficaz, você diz, e não pode fazer qualquer coisa que seja boa. Então, não irá fazer o que Deus ou sua graça deseja. Por quê? Porque nós tiramos a graça de Deus dele e o que a graça de Deus não faz, não é bom. Conseqüentemente, segue-se que o 'livre-arbítrio' sem a graça de Deus não é livre de forma alguma, mas é um prisioneiro permanente e escravo do mal, uma vez que não pode se voltar para o bem".

Lutero estava preocupado com o fato de a expressão livre-arbítrio ser profundamente equivocada para a maioria das pessoas. Seu significado comum é"a capacidade humana de se virar livremente para qualquer direção, seja para o bem ou para o mal". Lutero chamava a expressão livre-arbítrio "grandiosa, compreensiva e ofensiva demais". Ele conclui que "esta falsa idéia do 'livre-arbítrio' é uma ameaça real à salvação e uma desilusão carregada das mais perigosas conseqüências".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marcadores

(I Pedro 5:8) (1) 1 Coríntios (3) 1 Pedro (1) 1Pedro (1) 2 Pedro (2) A (1) A palavra da Cruz é Loucura (3) A Parábola do Rico e Lázaro (1) a Semente e os Solos (1) A Volta de Jesus (4) A. W. Tozer (36) A.W Pink (2) Abandonado (1) Aborto (9) Adoração (18) Agostinho (1) Aids (1) Alegria (22) Aliança (1) Alívio (1) Almas (17) Amarás o Próximo (1) Amargura (1) Amém (3) Amizade (5) Amor (70) Anátema (1) Angústia (2) Animais (1) Anjos (3) Anorexia (1) Ansiedade (5) Anticristo (2) Antidepressivo (1) Antigo Testamento (1) Apocalipse (10) Apostasia (5) Apóstolo Paulo (4) Arca de noé (2) Arrebatamento (3) Arrependimento (22) Arrogância (1) Arthur W. Pink (5) As Igrejas de todos os Tipos e para todos os Gostos (1) Ateísmo (4) Ateus (5) Augustus Nicodemus (2) Autoridade (4) Avareza (1) Aviso (2) Avivamento (10) Batalha Espiritual (7) Batismo (4) Bebida Alcóolica (1) Benção (2) Bíblia (49) Boas Novas (1) Bullying (1) Cálice (2) Calvinismo (2) Campanhas no Facebook (1) Cansado (1) Caráter (4) Carnal (1) Carnaval (2) Carne (11) Carta de Deus e do Inferno (2) Carter Conlon (1) Casamento (32) Castigo (1) Catolicismo.Religiao (1) Céu (14) Chamados ao primeiro amor (5) Charles Haddon Spurgeon (274) Cigarro (1) Circo ou Igreja? (1) Cirurgia Plástica (1) Citações Redes Sociais (2) Clodoaldo Machado (1) Cobiça (1) Comunhão (4) Comunidade no Orkut (1) Conhecendo as Histórias da Bíblia (1) Conhecimento (2) Consciência (2) Consolador (3) Copa do Mundo (1) Coração (31) Coragem (4) Corra (1) Corrompidos (1) Cosmovisão Cristã (1) Crer em Jesus (3) Criação (3) Criança (7) Cristãos (60) Cristianismo (19) Cristo (85) Crucificaram (1) Cruz (29) Culto (2) Cultura (4) Cura (6) David Wilkerson (43) Demônio (4) Dennis Allan (23) Denominações (1) Dependência (2) Depravação Humana (11) Depressão (6) Desanimado e fraco (11) Descanso (1) Desejo (1) Desenhos para Crianças (9) Deserto (1) Desigrejados (1) Desonra (1) Desprezado e Rejeitado (3) Desviado (5) Deus (328) Devoção (1) Diabo (9) Dinheiro (11) Discernimento (1) Discipulado (7) Discípulos Verdadeiros (4) Divórcio (9) Divulgue esse Blog (2) Dízimos e Ofertas (3) Dons Espirituais (1) Dor (6) Dores de Parto (1) Doutrinas (5) Dr J.R (1) Drogas (1) Dúvidas (1) Eclesiastes (1) Ego (1) Enganados (1) Envelhecer com Deus (1) Equilibrio (1) Errando (2) Escolha (2) Escolhidos De Deus (10) Escravo por Amor (2) Esforço (1) Esperança (8) Espíritismo (1) Espirito Santo (27) Espirituais (35) Estudo da Bíblia (257) Estudo Livro de Romanos por John Piper (17) Estudo Livro de Rute por John Piper (5) Eternidade (10) Eu Não Consigo (1) Evangelho (76) Evangelho da Prosperidade (13) Evangelho do Reino (1) Evangelismo (5) Evangelizar pela Internet (7) Evolução (1) Exaltação (1) Êxodo (1) Exortação (3) Ezequiel (1) Falar em Linguas (3) Falsos Profetas(Enganação) (17) Família (16) Fariseus (3) (49) Felicidade (6) Festas do Mundo (1) Festas juninas(São João) (1) Fiél (3) Filmes Bíblicos (43) Finais dos Tempos (11) Força (1) Fruto (8) Futebol (1) Gálatas (1) George Müller (1) George Whitefield (2) Glória (44) Graça (47) Gratidão (3) Guerra (4) Hebreus (1) Heresias (3) Hernandes Lopes (110) Hinos (1) Homem (46) Homossexual (6) Honra (1) Humanismo (1) Humildade (9) Humilhado (8) Idolatria (12) Idoso (1) Ignorância (1) Igreja (79) Ímpios (1) Incentivo (1) Incredulidade (2) Inferno (8) Ingratidão (2) Inimigo (2) Inquisição Católica (1) Intercessão (1) Intercessor (1) Intervenção (9) Intimidade (1) Inutéis (1) Inveja (1) Ira (12) Isaías (1) J. C. Ryle (9) James M. Boice (1) Jejum (4) Jeremias (2) Jesus (88) (1) João (4) João Calvino (145) Jogos VIDEO GAMES (2) John Owen (15) John Pipper (587) John Stott (28) John Wesley (1) Jonathan Edwards (92) José (1) Joseph Murphy (1) Josué Yrion (8) Jovens (15) Julgamento (20) Justiça (2) Lave os pés dos seus irmãos Vá em busca dos perdidos e fale do amor de Deus (1) Leão da Tribo de Judá (1) Legalismo vs. Bem-Aventuranças (1) Leonard Ravenhill (52) Liberdade (10) Língua (5) Livre arbítrio (10) Livros (67) Louvor (4) Lutar (7) Maçonaria e Fé Cristã (1) Mãe (2) Mal (18) Maldições Hereditárias (3) Manifestações Absurdas (2) Marca da Besta (1) Mártires (5) Martyn Lloyd-Jones (173) Masturbação (2) Mateus (2) Maturidade (2) Médico dos Médicos (1) Medo (2) Mefibosete (1) Mensagens (372) Mentira (8) Milagres (2) Ministério (10) Misericórdia (13) Missão portas abertas (21) Missões (27) Missões Cristãos em Defesa do Evangelho (1) Monergismo (1) Morrendo (12) Morte (43) Morte de um ente querido que não era crente (1) Mulher (11) Mulheres pastoras (2) Mundanismo (3) Mundo (28) Murmuração (3) Músicas (38) Músicas nas Igrejas.Louvor (8) Namoro ou Ficar (12) Natal (4) Noiva de Cristo (2) Nosso Corpo (1) Novo convertido (10) Novo Nascimento (11) O Semeador (1) O Seu Chamado (13) Obediencia (8) Obras (15) Obreiros (2) Observador (2) Oração (67) Orgulho (10) Orgulho Espiritual (1) Orkut (1) Paciência (7) Pai (1) Pais e Filhos (21) Paixão (3) Paixão de Cristo (2) Parábola Filho Pródigo (2) Parábolas (9) participe do nosso grupo e curta nossa página! (1) Páscoa (1) Pastor (18) Paul Washer (216) Paulo Junior (239) Paz (4) Pecado (106) Pecadores (12) Pedofilia (2) Perdão (16) perse (1) Perseguição (13) Pobre (4) Poder (18) Por que tarda o pleno Avivamento? (3) Pornografia (8) Porque Deus permite o sofrimento dos inocentes (2) Porta Estreita (2) Pregação (24) PREGAÇÕES COMPLETAS INTRODUÇÃO ESCOLA DE OBREIROS (1) Profecias (3) Profetas (3) Prostituição (2) Provação (2) Provar o Evangelho Para Aqueles que Não acreditam Na Bíblia (1) Provérbios (1) Púlpito (3) Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma (1) R. C. Sproul (29) Realidade (1) Rebelde (1) Redes Sociais (2) Reencarnação (2) Refletindo Sobre Algumas coisas (1) Reforma e Reavivamento (1) Reforma Protestante (3) Refúgio (2) Regeneração (16) Rei (3) Relativismo (1) Religião (7) Renúncia (2) Ressuscitou (5) Revelação (1) Ricardo Gondim (1) Richard Baxter (7) Rico (12) Romanos (20) Roupas (1) Rupert Teixeira (4) Rute (5) Sabedoria (12) Sacrifício (3) Salvação (45) Sangue de Cristo (3) Santa Ceia (2) Santidade (34) Satanás (15) Secularismo (1) Segurança Completa (1) Seitas (3) Semente (1) Senhor (10) Sensualidade (2) Sermão da Montanha (2) Servos Especiais (4) Sexo (8) Sinais e Maravilhas (2) Soberba (1) Sofrimento (24) Sola Scriptura (1) Sola Scriptura Solus Christus Sola Gratia Sola Fide Soli Deo Gloria (4) Soldado (1) Sozinho (3) Steven Lawson (12) Submissão (1) Suicídio (2) Televisão um Perigo (8) Temor (4) Tempo (5) Tentação (9) Teologia (2) Teologia da Prosperidade (4) Tesouro que foi achado (4) Tessalonicenses 1 (1) Testemunhos (29) Thomas Watson (17) Tim Conway (38) Timóteo (1) Todo homem pois seja pronto para ouvir tardio para falar tardio para se irar Tiago 1.19 (1) Trabalho (2) Tragédia Realengo Rio de Janeiro (2) Traição (4) Transformados (1) Trevas e Luz (2) Tribulação (10) Trindade (2) Tristeza (5) Trono branco (2) Tsunami no Japão (2) tudo (231) Uma Semente de Amor para Russia (1) Unção (3) Ungir com Óleo (1) Vaidade (3) Vaso (2) Velho (1) Verdade (30) Vergonha (3) Vestimentas (1) Vícios (6) Vida (39) Vincent Cheung (1) Vitória (5) Vontade (1) Votação (1) Yoga (1)

Comentários:

Mensagem do Dia

O homem, cujo tesouro é o Senhor, tem todas as coisas concentradas nEle. Outros tesouros comuns talvez lhe sejam negados, mas mesmo que lhe seja permitido desfrutar deles, o usufruto de tais coisas será tão diluído que nunca é necessário à sua felicidade. E se lhe acontecer de vê-los desaparecer, um por um, provavelmente não experimentará sensação de perda, pois conta com a fonte, com a origem de todas as coisas, em Deus, em quem encontra toda satisfação, todo prazer e todo deleite. Não se importa com a perda, já que, em realidade nada perdeu, e possui tudo em uma pessoa Deus de maneira pura, legítima e eterna. A.W.Tozer

"A conversão tira o cristão do mundo; a santificação tira o mundo do cristão." JOHN WESLEY"

Minha foto

Darliana+ Missões Cristãos em Defesa do Evangelho+✿Apenas uma alma que foi resgatada através da graça e misericórdia de Deus,Dai de graça o que de graça recebeste' (Mt. 10,8). Latim para estar em consonância com as cinco teses que dão sustentação ao “pensamento”e à vida do genuíno cristão reformado: sola scriptura,sola gratia, sola fide,solus christus, soli deo gloria. E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará." (João 8 : 32) "Um cristão verdadeiro é uma pessoa estranha em todos os sentidos." Ele sente um amor supremo por alguém que ele nunca viu; conversa familiarmente todos os dias com alguém que não pode ver; espera ir para o céu pelos méritos de outro; esvazia-se para que possa estar cheio; admite estar errado para que possa ser declarado certo; desce para que possa ir para o alto; é mais forte quando ele é mais fraco; é mais rico quando é mais pobre; mais feliz quando se sente o pior. Ele morre para que possa viver; renuncia para que possa ter; doa para que possa manter; vê o invisível, ouve o inaudível e conhece o que excede todo o entendimento." A.W.Tozer✿

Postagens Populares

Bíblia OnLine - Leitura e Audio

Bíblia OnLine - Leitura e Audio
Alimentar-se da Palavra "Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração." (Hebreus 4 : 12).Erram por não conhecer as Escrituras, e nem o poder de Deus (Mateus 22.29)Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo. Apocalipse 1:3

Feed: Receba Atualizações Via Email

Coloque o seu endereço de email e receba atualizações e conteúdos exclusivos:

Cadastre seu E-mail.Obs.: Lembre-se de clicar no link de confirmação enviado ao seu e-mail.