Tradutor

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

22 de set de 2010

A obediência simples - Dietrich Bonhoeffer (1906 - 1945)

-Bonhoeffer foi martirizado por sua fé aos 39 anos em 1945-
Quando Jesus exigiu pobreza voluntária ao jovem rico, este percebeu que estava diante da alternativa: obediência ou desobediência. Quando Levi foi chamado da coletoria, e Pedro de suas redes, não havia dúvida de que o apelo de Jesus era sério. Eles deveriam abandonar tudo para o seguir. Quando Pedro foi chamado a pisar a superfície agitada das águas do lago, teve que se levantar e ousar aquele passo. Em tudo isso,exigia-se uma única coisa: confiar na Palavra de Jesus Cristo e considerá-la terreno mais sólido que todas as certezas do mundo. As forças que pretendiam interpor-se entre a palavra de Jesus e a obediência eram tão fortes então como o são hoje. Opunham-se a razão, a consciência, a responsabilidade, a piedade, e, até mesmo, a lei e o princípio escrituristicointervinham para impedir este extremismo, esta onda entusiástica sem lei. Mas o chamado de Jesus venceu todas as barreiras e impôs obediência.
Se, hoje, Jesus Cristo falasse desta forma a um de nós através das Sagradas Escrituras, provavelmente argumentaríamos da seguinte forma: é certo que Jesus nos ordena algo bem definido; quando, porém, Jesus ordena, devo considerar que ele jamais exige obediência legalista, mas procura em mim uma única coisa: que eu creia. Minha fé, porém, não depende de pobreza ou riqueza, ou de algo semelhante; antes, na fé posso ser tanto rico como pobre. Que eu não possua bens não é essencial. O importante é que os possua como se não os possuísse e que esteja intimamente livre deles, e não prenda meu coração a eles. Por exemplo: Jesus diz: "Vende o que tens!", mas o que ele quer dizer, na realidade, é o seguinte: Na verdade, não importa que cumpras esta ordem ao pé da letra; podes, tranqüilamente, conservar teus bens, apenas deves tê-los como se não os tivesses. Não prendas o coração ao que possuis. A obediência à palavra de Jesus consistiria, portanto, exatamente na rejeição da obediência simples, por esta ser legalista, para então sermos obedientes "na fé". Neste ponto, distinguimo-nos do jovem rico. Este, em sua tristeza, não pode tranqüilizar-se dizendo para si mesmo: apesar da or dem de Jesus, continuarei com minhas riquezas; apenas passarei a serintimamente livre delas, consolar-me-ei, em toda a minha insuficiência, no perdão dos pecados e, pela fé, terei comunhão com Jesus. Ao contrário disso, o rapaz retirou-se triste e, junto com a obediência, perdeu tam bém a fé. O rapaz foi absolutamente sincero nesta atitude. Separou-se de Jesus, e sem dúvida esta sinceridade encerra maior promessa do que uma comunhão aparente com Jesus, baseada na desobediência. É evi dente que, na opinião de Jesus, o jovem nunca conseguiria libertar-se intimamente de suas riquezas. Decerto aquele jovem sério e esforçado já o tentara mil vezes. Que seus esforços malograram, mostra o fato de, no momento decisivo, não ter conseguido obedecer à palavra de Jesus. Neste ponto, pois, o jovem foi sincero.
Nós, porém, em nossa argumentação, distinguimo-nos fundamentalmente do ouvinte bíblico da palavra de Jesus. Se Jesus disser a ele: "Deixa tudo e segue-me. Abandona tua profissão e a família, teu povo e a casa de teu pai!", o ouvinte bíblico sabe que há somente a resposta da obediência simples, porque tal obediência tem a promessa da comunhão com Jesus. Nós, porém, diríamos: o chamado de Jesus tem que ser levado incondicionalmente a sério, sem dúvida. Mas a verdadeira obediência consiste em ficar em minha profissão, em minha família, e servir a Jesus aí mesmo, porém, em verdadeira liberdade interior. Por exemplo, Jesus diria: "Para fora!" Nós, porém, entendemos este chamado como um convite a ficarmos lá dentro, só que como se, interiormente, tivéssemos saído. Ou então, Jesus diria: "Não se preocupem!" Nós, porém,entenderíamos assim: mas é claro que temos de nos preocupar e trabalhar para o sustento da família e o próprio sustento. Qualquer outro pro cedimento seria irresponsável. O que se requer é que, no íntimo, estejamos livres de tais preocupações. Ou ainda, Jesus diria: "A qualquer que te ferir a face direita, volta-lhe também a outra." Nós, porém, entenderíamos assim: é na luta e na réplica que se engrandece o ser humano no amor pelo irmão. Finalmente, Jesus diria: "Busquem, em primeiro lugar, o reino e sua justiça". Nós, porém, entenderíamos assim: é claro que, bem antes disso, temos que nos preocupar com mil outras coisas; de outro modo, como poderíamos subsistir? O que se pretenderia exprimir é que o ser humano deve ter a disposição íntima de empenhar tudo pelo reino de Deus. Em tudo isso se constata uma só coisa: a abolição consciente da obediência simples, literal.
Como é possível tal perversão? Que sucedeu para que a palavra de Jesus tenha que servir para semelhante brincadeira, seja entregue à zom
baria do mundo? Noutros setores, ao se dar ordens, as circunstâncias são claras. O pai diz ao filho: "Vai para a cama!", e o filho bem sabe o que papai quer dizer. Uma criança com treinamento pseudoteológico, porém, argumentaria assim: papai disse: "Vai para a cama". Está querendo dizer que estou cansado; porém, ele não gosta que eu esteja cansado, quer que eu esteja livre do cansaço. Bem, posso livrar-me do cansaçobrincando. De fato, meu pai disse: "Vai para a cama!" Mas o que ele quer dizer na verdade é: "Vai brincar!" Se a criança procedesse assim com seu pai, ou o cidadão com as autoridades, ouviriam uma linguagem muito clara, a linguagem do castigo. Somente em relação às ordens de Jesus as coisas se passam de forma diferente. Aí, a obediência simples é pervertida e transformada em desobediência. Como é isso possível?
Isso é possível porque esta argumentação errada se baseia, de fato, em algo absolutamente certo. A ordem de Jesus ao jovem rico ou o chamado a uma situação em que a fé seja possível têm, de fato, um único objetivo - o de chamar o ser humano à fé em Cristo, à comunhão com ele. Em última análise, nada depende desta ou daquela ação do ser humano; antes, tudo depende da fé em Jesus como Filho de Deus e Mediador. De fato, no fim das contas, nada depende de pobreza ou riqueza,casamento ou celibato, de ter ou não ter uma profissão; antes, tudo depende da fé. Até aqui, nada de errado; é possível crer em Cristo sendo possuidor de muitos bens, crer de tal forma que possuamos essas riquezas como se não as possuíssemos. Esta possibilidade, porém, é uma possibilidade extrema da existência cristã como tal, uma possibilidade face à solene expectativa da volta iminente de Cristo, e não se constitui napossibilidade mais próxima e mais simples.
A interpretação paradoxal dos mandamentos tem sua legitimidade cristã, mas jamais deverá conduzir à abolição da interpretação simples desses mandamentos. Tal direito, tal possibilidade os tem somente a pessoa que, em determinado momento de sua vida, já se confrontou seriamente com a interpretação simples e que, assim, está na comunhão de Jesus, no discipulado, na expectativa do fim. Esta é a possibilidadeinfinitamente mais difícil, e mais: a possibilidade impossível, humanamente falando, de interpretar paradoxalmente o chamado de Jesus, e, como tal, ela corre sempre o perigo extremo de se transformar em seu antônimo, numa saída confortável, na fuga à obediência concreta. Quem ignora que lhe seria muito mais fácil dar uma interpretação singela aomandamento de Jesus e lhe obedecer ao pé da letra - por exemplo, à ordem de Jesus, vender, de fato, os bens em vez de conservá-los -, quem não sabe disso não tem direito à interpretação paradoxal de suas palavras. Portanto, a compreensão paradoxal do mandamento de Jesus necessariamente inclui sempre a interpretação literal.
O chamado concreto de Jesus e a obediência simples têm sentido irrevogável. Jesus chama a uma situação concreta em que a fé se torna possível; chama de forma tão concreta, e também quer ser compreendi do concretamente, por saber que só na obediência concreta o ser humano fica livre para a fé.
Onde é eliminada, de princípio, a obediência simples, aí, uma vez mais, a graça preciosa do chamado de Jesus se transforma em graça barata da auto-justificação. Aí se erige, também, uma falsa lei, que endurece os ouvidos ao chamado concreto de Cristo. Esta falsa lei é a lei do mundo, à qual se opõe e corresponde a lei da graça. E o mundo não é, neste caso, o mundo vencido por Cristo e que, na comunhão com ele,tem que ser vencido diariamente; antes, tornou-se lei rígida, inquebrantável, um princípio. A graça, por sua vez, deixa de ser o dom do Deus vivo, pelo qual somos arrancados ao mundo e colocados na obediência de Cristo; antes, é uma lei, divina genérica, um princípio divino, o qual interessa apenas aplicar a casos especiais. A luta de princípios contra o "legalismo" da obediência simples erige ela mesma mais perigosa lei, a lei do mundo e a lei da graça. A luta de princípio contra "o legalismo" é,ela própria, a mais legalista de todas. O legalismo somente é vencido pela verdadeira obediência ao chamado gracioso de Jesus ao discipulado, no qual a lei é cumprida pelo próprio Cristo e por ele revogada.
Onde a obediência simples é eliminada de princípio, aí se introduz um princípio escriturístico não-evangélico. A condição prévia para a compreensão das Escrituras é então a posse de uma chave que abra o acesso a elas. E aí a chave não é o Cristo vivo em julgamento e graça, e seu uso já não depende apenas da vontade do Espírito Santo vivo; antes, a chave que dá acesso às Escrituras é uma doutrina geral da graça, e nóspróprios dispomos dela. O problema do discipulado revela-se aqui tam bém como problema hermenêutico. Para uma hermenêutica evangélica, tem de ficar bem claro que não é possível nos identificarmos diretamen te com os discípulos que foram chamados pessoalmente por Jesus; estes personagens chamados nas Escrituras integram a Palavra de Deus e fazem, eles próprios, parte da pregação. Na pregação, não escutamos apenas a resposta de Jesus à pergunta de um discípulo - pergunta que bem poderia ser a nossa -, mas pergunta e resposta são ambas, como palavra da Escritura, objeto da pregação. A obediência simples estaria mal compreendida em termos hermenêuticos se pretendêssemos agir e ser discí pulos em identificação direta com as pessoas que foram chamadas pessoalmente por Jesus. Todavia, o Cristo que nos é anunciado nas Escrituras é, em toda a sua Palavra, aquele que dá a fé somente ao obediente e que somente ao obediente dá a fé. Não podemos nem devemos ir além da palavra das Escrituras, em busca dos acontecimentos tais quais ocorreram; antes, as Escrituras como um todo nos chamam ao discipulado,pois não queremos violentar legalisticamente as Escrituras por meio de um princípio, nem que seja a doutrina da graça.
Permanece, pois, de pé que a interpretação paradoxal do mandamento de Jesus encerra a interpretação simples, justamente por não pre tendermos impor uma lei, mas proclamar a Cristo. Quase desnecessário seria dizer uma palavra contra a suspeita de que, por esta obediência simples, desejássemos referir-nos a qualquer mérito do ser humano, a um facere quod in se est, a uma condição prévia da fé que fosse necessário satisfazer. A obediência ao chamado de Jesus nunca é um ato que o ser humano possa realizar por sua própria iniciativa. Assim, desfazer-se dos bens não é ainda a obediência; é possível, inclusive, que semelhante ato seja exatamente o contrário da obediência - a escolha livre de determinado estilo de vida, de um ideal cristão, de um ideal franciscano de pobreza.Ao dar seus bens, o ser humano poderia não estar fazendo nada mais do que afirmando a si mesmo e a um ideal, e não o mandamento de Jesus, e, em vez de libertar-se, ficar ainda mais escravizado. O passo para dentro da situação jamais é oferta do ser humano a Jesus, mas sempre a oferta graci osa de Jesus ao ser humano. Ele só é legítimo onde é dado dessa maneira, mas aí não é mais uma possibilidade de que a pessoa pudesse dispor.
Então disse Jesus a seus discípulos: Em verdade lhes digo que um rico dificilmente entrará no reino dos céus. E ainda lhes digo que é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus. Ouvindo isto, os discípulos ficaram grandemente maravilhados, e disseram: Sendo asssim, quem pode ser salvo? Jesus, fitando neles o olhar, disse-lhes: Isto é impossível ao ser humano, mas para Deus tudo é possível. (Mt 19.23-26).
Do espanto dos discípulos, ao ouvirem a palavra de Jesus, e da pergunta acerca de quem então poderia ser salvo, depreende-se que compreendiam o caso do jovem rico não como caso isolado, mas como caso geral. Não perguntaram: "Qual rico?", mas em termos bem gerais: "Quem pode ser salvo?"; isso porque todos, inclusive os discípulos, pertencem a esses ricos para os quais é tão difícil entrar no reino dos céus. A resposta de Jesus confirma que os discípulos haviam interpretado correta mente suas palavras. Ser salvo através do discipulado não é uma possibilidade ao alcance do ser humano, mas para Deus tudo é possível. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marcadores

(I Pedro 5:8) (1) 1 Coríntios (3) 1 Pedro (1) 1Pedro (1) 2 Pedro (2) A (1) A palavra da Cruz é Loucura (3) A Parábola do Rico e Lázaro (1) a Semente e os Solos (1) A Volta de Jesus (4) A. W. Tozer (36) A.W Pink (2) Abandonado (1) Aborto (9) Adoração (18) Agostinho (1) Aids (1) Alegria (22) Aliança (1) Alívio (1) Almas (17) Amarás o Próximo (1) Amargura (1) Amém (3) Amizade (5) Amor (70) Anátema (1) Angústia (2) Animais (1) Anjos (3) Anorexia (1) Ansiedade (5) Anticristo (2) Antidepressivo (1) Antigo Testamento (1) Apocalipse (10) Apostasia (5) Apóstolo Paulo (4) Arca de noé (2) Arrebatamento (3) Arrependimento (22) Arrogância (1) Arthur W. Pink (5) As Igrejas de todos os Tipos e para todos os Gostos (1) Ateísmo (4) Ateus (5) Augustus Nicodemus (2) Autoridade (4) Avareza (1) Aviso (2) Avivamento (10) Batalha Espiritual (7) Batismo (4) Bebida Alcóolica (1) Benção (2) Bíblia (49) Boas Novas (1) Bullying (1) Cálice (2) Calvinismo (2) Campanhas no Facebook (1) Cansado (1) Caráter (4) Carnal (1) Carnaval (2) Carne (11) Carta de Deus e do Inferno (2) Carter Conlon (1) Casamento (32) Castigo (1) Catolicismo.Religiao (1) Céu (14) Chamados ao primeiro amor (5) Charles Haddon Spurgeon (274) Cigarro (1) Circo ou Igreja? (1) Cirurgia Plástica (1) Citações Redes Sociais (2) Clodoaldo Machado (1) Cobiça (1) Comunhão (4) Comunidade no Orkut (1) Conhecendo as Histórias da Bíblia (1) Conhecimento (2) Consciência (2) Consolador (3) Copa do Mundo (1) Coração (31) Coragem (4) Corra (1) Corrompidos (1) Cosmovisão Cristã (1) Crer em Jesus (3) Criação (3) Criança (7) Cristãos (60) Cristianismo (19) Cristo (85) Crucificaram (1) Cruz (29) Culto (2) Cultura (4) Cura (6) David Wilkerson (43) Demônio (4) Dennis Allan (23) Denominações (1) Dependência (2) Depravação Humana (11) Depressão (6) Desanimado e fraco (11) Descanso (1) Desejo (1) Desenhos para Crianças (9) Deserto (1) Desigrejados (1) Desonra (1) Desprezado e Rejeitado (3) Desviado (5) Deus (328) Devoção (1) Diabo (9) Dinheiro (11) Discernimento (1) Discipulado (7) Discípulos Verdadeiros (4) Divórcio (9) Divulgue esse Blog (2) Dízimos e Ofertas (3) Dons Espirituais (1) Dor (6) Dores de Parto (1) Doutrinas (5) Dr J.R (1) Drogas (1) Dúvidas (1) Eclesiastes (1) Ego (1) Enganados (1) Envelhecer com Deus (1) Equilibrio (1) Errando (2) Escolha (2) Escolhidos De Deus (10) Escravo por Amor (2) Esforço (1) Esperança (8) Espíritismo (1) Espirito Santo (27) Espirituais (35) Estudo da Bíblia (257) Estudo Livro de Romanos por John Piper (17) Estudo Livro de Rute por John Piper (5) Eternidade (10) Eu Não Consigo (1) Evangelho (76) Evangelho da Prosperidade (13) Evangelho do Reino (1) Evangelismo (5) Evangelizar pela Internet (7) Evolução (1) Exaltação (1) Êxodo (1) Exortação (3) Ezequiel (1) Falar em Linguas (3) Falsos Profetas(Enganação) (17) Família (16) Fariseus (3) (49) Felicidade (6) Festas do Mundo (1) Festas juninas(São João) (1) Fiél (3) Filmes Bíblicos (43) Finais dos Tempos (11) Força (1) Fruto (8) Futebol (1) Gálatas (1) George Müller (1) George Whitefield (2) Glória (44) Graça (47) Gratidão (3) Guerra (4) Hebreus (1) Heresias (3) Hernandes Lopes (110) Hinos (1) Homem (46) Homossexual (6) Honra (1) Humanismo (1) Humildade (9) Humilhado (8) Idolatria (12) Idoso (1) Ignorância (1) Igreja (79) Ímpios (1) Incentivo (1) Incredulidade (2) Inferno (8) Ingratidão (2) Inimigo (2) Inquisição Católica (1) Intercessão (1) Intercessor (1) Intervenção (9) Intimidade (1) Inutéis (1) Inveja (1) Ira (12) Isaías (1) J. C. Ryle (9) James M. Boice (1) Jejum (4) Jeremias (2) Jesus (88) (1) João (4) João Calvino (145) Jogos VIDEO GAMES (2) John Owen (15) John Pipper (587) John Stott (28) John Wesley (1) Jonathan Edwards (92) José (1) Joseph Murphy (1) Josué Yrion (8) Jovens (15) Julgamento (20) Justiça (2) Lave os pés dos seus irmãos Vá em busca dos perdidos e fale do amor de Deus (1) Leão da Tribo de Judá (1) Legalismo vs. Bem-Aventuranças (1) Leonard Ravenhill (52) Liberdade (10) Língua (5) Livre arbítrio (10) Livros (67) Louvor (4) Lutar (7) Maçonaria e Fé Cristã (1) Mãe (2) Mal (18) Maldições Hereditárias (3) Manifestações Absurdas (2) Marca da Besta (1) Mártires (5) Martyn Lloyd-Jones (173) Masturbação (2) Mateus (2) Maturidade (2) Médico dos Médicos (1) Medo (2) Mefibosete (1) Mensagens (372) Mentira (8) Milagres (2) Ministério (10) Misericórdia (13) Missão portas abertas (21) Missões (27) Missões Cristãos em Defesa do Evangelho (1) Monergismo (1) Morrendo (12) Morte (43) Morte de um ente querido que não era crente (1) Mulher (11) Mulheres pastoras (2) Mundanismo (3) Mundo (28) Murmuração (3) Músicas (38) Músicas nas Igrejas.Louvor (8) Namoro ou Ficar (12) Natal (4) Noiva de Cristo (2) Nosso Corpo (1) Novo convertido (10) Novo Nascimento (11) O Semeador (1) O Seu Chamado (13) Obediencia (8) Obras (15) Obreiros (2) Observador (2) Oração (67) Orgulho (10) Orgulho Espiritual (1) Orkut (1) Paciência (7) Pai (1) Pais e Filhos (21) Paixão (3) Paixão de Cristo (2) Parábola Filho Pródigo (2) Parábolas (9) participe do nosso grupo e curta nossa página! (1) Páscoa (1) Pastor (18) Paul Washer (216) Paulo Junior (239) Paz (4) Pecado (106) Pecadores (12) Pedofilia (2) Perdão (16) perse (1) Perseguição (13) Pobre (4) Poder (18) Por que tarda o pleno Avivamento? (3) Pornografia (8) Porque Deus permite o sofrimento dos inocentes (2) Porta Estreita (2) Pregação (24) PREGAÇÕES COMPLETAS INTRODUÇÃO ESCOLA DE OBREIROS (1) Profecias (3) Profetas (3) Prostituição (2) Provação (2) Provar o Evangelho Para Aqueles que Não acreditam Na Bíblia (1) Provérbios (1) Púlpito (3) Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma (1) R. C. Sproul (29) Realidade (1) Rebelde (1) Redes Sociais (2) Reencarnação (2) Refletindo Sobre Algumas coisas (1) Reforma e Reavivamento (1) Reforma Protestante (3) Refúgio (2) Regeneração (16) Rei (3) Relativismo (1) Religião (7) Renúncia (2) Ressuscitou (5) Revelação (1) Ricardo Gondim (1) Richard Baxter (7) Rico (12) Romanos (20) Roupas (1) Rupert Teixeira (4) Rute (5) Sabedoria (12) Sacrifício (3) Salvação (45) Sangue de Cristo (3) Santa Ceia (2) Santidade (34) Satanás (15) Secularismo (1) Segurança Completa (1) Seitas (3) Semente (1) Senhor (10) Sensualidade (2) Sermão da Montanha (2) Servos Especiais (4) Sexo (8) Sinais e Maravilhas (2) Soberba (1) Sofrimento (24) Sola Scriptura (1) Sola Scriptura Solus Christus Sola Gratia Sola Fide Soli Deo Gloria (4) Soldado (1) Sozinho (3) Steven Lawson (12) Submissão (1) Suicídio (2) Televisão um Perigo (8) Temor (4) Tempo (5) Tentação (9) Teologia (2) Teologia da Prosperidade (4) Tesouro que foi achado (4) Tessalonicenses 1 (1) Testemunhos (29) Thomas Watson (17) Tim Conway (38) Timóteo (1) Todo homem pois seja pronto para ouvir tardio para falar tardio para se irar Tiago 1.19 (1) Trabalho (2) Tragédia Realengo Rio de Janeiro (2) Traição (4) Transformados (1) Trevas e Luz (2) Tribulação (10) Trindade (2) Tristeza (5) Trono branco (2) Tsunami no Japão (2) tudo (231) Uma Semente de Amor para Russia (1) Unção (3) Ungir com Óleo (1) Vaidade (3) Vaso (2) Velho (1) Verdade (30) Vergonha (3) Vestimentas (1) Vícios (6) Vida (39) Vincent Cheung (1) Vitória (5) Vontade (1) Votação (1) Yoga (1)

Comentários:

Mensagem do Dia

O homem, cujo tesouro é o Senhor, tem todas as coisas concentradas nEle. Outros tesouros comuns talvez lhe sejam negados, mas mesmo que lhe seja permitido desfrutar deles, o usufruto de tais coisas será tão diluído que nunca é necessário à sua felicidade. E se lhe acontecer de vê-los desaparecer, um por um, provavelmente não experimentará sensação de perda, pois conta com a fonte, com a origem de todas as coisas, em Deus, em quem encontra toda satisfação, todo prazer e todo deleite. Não se importa com a perda, já que, em realidade nada perdeu, e possui tudo em uma pessoa Deus de maneira pura, legítima e eterna. A.W.Tozer

"A conversão tira o cristão do mundo; a santificação tira o mundo do cristão." JOHN WESLEY"

Minha foto

Darliana+ Missões Cristãos em Defesa do Evangelho+✿Apenas uma alma que foi resgatada através da graça e misericórdia de Deus,Dai de graça o que de graça recebeste' (Mt. 10,8). Latim para estar em consonância com as cinco teses que dão sustentação ao “pensamento”e à vida do genuíno cristão reformado: sola scriptura,sola gratia, sola fide,solus christus, soli deo gloria. E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará." (João 8 : 32) "Um cristão verdadeiro é uma pessoa estranha em todos os sentidos." Ele sente um amor supremo por alguém que ele nunca viu; conversa familiarmente todos os dias com alguém que não pode ver; espera ir para o céu pelos méritos de outro; esvazia-se para que possa estar cheio; admite estar errado para que possa ser declarado certo; desce para que possa ir para o alto; é mais forte quando ele é mais fraco; é mais rico quando é mais pobre; mais feliz quando se sente o pior. Ele morre para que possa viver; renuncia para que possa ter; doa para que possa manter; vê o invisível, ouve o inaudível e conhece o que excede todo o entendimento." A.W.Tozer✿

Postagens Populares

Bíblia OnLine - Leitura e Audio

Bíblia OnLine - Leitura e Audio
Alimentar-se da Palavra "Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração." (Hebreus 4 : 12).Erram por não conhecer as Escrituras, e nem o poder de Deus (Mateus 22.29)Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo. Apocalipse 1:3

Feed: Receba Atualizações Via Email

Coloque o seu endereço de email e receba atualizações e conteúdos exclusivos:

Cadastre seu E-mail.Obs.: Lembre-se de clicar no link de confirmação enviado ao seu e-mail.